18 de setembro de 2012

Lei abre negociação de dívidas para 127 mil empresários da Amazônia

Compartilhe:

FNO

Mudança em artigo da Lei do Fundo Constitucional da Região Norte será homologada nesta terça-feira pelo ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, em Porto Velho

Ana Aranda

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, vai homologar nesta terça-feira em Porto Velho, a modificação da  Lei  7.827, referente ao Fundo Constitucional da Região Norte (FNO), que permite a renegociação de até 90% de dívidas feitas junto ao Banco da Amazônia. A medida vai beneficiar 127 mil empresários da Amazônia, sendo 9 mil em Rondônia. A providência é o resultado de uma campanha empreendida pelo Sindicato da Micro e Pequena Indústria (Simpi) de Rondônia para sensibilizar o ministro para a importância do pleito, que articulou o governo do Estado, senadores da região e a Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa de Rondônia, presidida pelo deputado Jean Oliveira  “Toda a região Norte vai ser beneficiada com o atendimento desta nossa reivindicação. Empresários e produtores de  grande  e pequeno porte dos setores de agricultura e pecuária, comércio, indústria e serviços poderão quitar suas dívidas e assim ficarão aptos para sacar novos financiamentos, aumentando a produção e a geração de ICMS”, considera o presidente do Simpi, Leonardo Sobral.

A homologação da lei é “ad referendum”, e por isso a mesma passa a vigorar mesmo antes da aprovação do Conselho Deliberativo da Sudam. Ele aconselha os empreendedores que têm dívidas junto ao Basa que procurem os órgãos de representação para receberem orientação sobre a melhor forma de encaminhar pendências de pagamentos.

A regulamentação do artigo 15D da lei 7.827, de junho de 2009, referente aos Fundos Constitucionais, cessa a dívida de tomadores de  inadimplentes de financiamentos da Sudam quando o devedor repassa ao banco os bens que foram apresentados como garantia dos empréstimos. Atualmente, os empresários que não conseguem pagar estes financiamentos, além de ficarem sem os bens que serviram de garantia, ficam pendurados em dívidas intermináveis, alimentadas por juros que aumentam com o efeito cascata, e respondem a processos judiciais que se prolongam durante anos.

Para se contrapor a esta situação, foi criado em 2009 o artigo 15D da Lei 7.827, o qual já foi regulamentado em 2010 no Nordeste, beneficiando os tomadores de empréstimos com incentivos da Sudene. A regulamentação do artigo está sob a responsabilidade do Conselho Deliberativo (Condel) da Sudam.

 

“Atuando em conjunto em Rondônia, o setor produtivo do Estado, reiteradas vezes, solicitou a regulamentação do artigo 15D da Lei 7.827, considerando que estava havendo um tratamento diferenciado entre os empresários das regiões Norte e Nordeste”, informa Leonardo Sobral.

Articulação

Sobral ressalta o empenho dos  senadores Acir Gurgacz e Tomás Correia, deputado federal Moreira Mendes e o deputado estadual Jean Oliveira, presidente da Frente Parlamentar de Defesa da Micro e Pequena Empresa de Rondônia, Jean Oliveira  para sensibilizar o ministro para a homologação da lei. Além do governador Confúcio Moura, que levou pessoalmente o assunto para Fernando Bezerra

Notícias relacionadas:

14 de agosto de 2017

Banco da Amazônia abre inscrições para três editais de patrocínios

[14/08/2017 - 15:59h] Mais de R$ 2,4 milhões serão disponibilizados pelo Banco da Amazônia para projetos culturais, sociais, ambientais e esportivos.

26 de junho de 2015

Banco da Amazônia disponibiliza R$ 380 milhões para associações conveniadas à Facer

[26/06/2015 - 17:45h] Os financiamentos serão concedidos através das linhas do FNO (Fundo Constitucional de Financiamento do Norte), com taxa de juros efetiva para investimento de 8,24% a 11,18 % ao ano.

8 de maio de 2014

Convênio suspende pagamento de financiamentos em Rondônia

[08/05/2014 - 19:09h] Compartilhe:Contrato entre governo do Estado e Banco da Amazônia inclui municípios afetados pela cheia histórica do Madeira em que foi […]

Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE