19 de julho de 2019

Escola de Samba Diplomatas do Samba é Patrimônio Cultural de Porto Velho

Compartilhe:

A vermelho e branca foi criada em 1958 com o nome de “Prova de Fogo”

Autor: Com informações do Zekatraca

diplomata

A mais antiga escola de samba de Porto Velho, a Diplomatas do Samba, é Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial de Porto Velho. Projeto de lei neste sentido foi apresentado pelo vereador Aleks Palitot foi aprovado pela maioria dos vereadores da capital de Rondônia em seção da última terça feira.

A Diplomatas vermelho e branca do Samba nasceu no dia 4 de novembro de 1958, na residência da família carnavalesca de Valério e Adelaide (dona Jóia) Souza, localizada na Rua Joaquim Nabuco sub esquina com a Almirante Barroso. Entre os fundadores da escola estão famosos foliões de Porto Velho como Waldemir Pinheiro da Silva (Bainha), Antônio Chagas Campo (Cabeleira) e Ricardo Souza (filho de Valério e Jóia).Tário de Almeida Café foi o primeiro presidente da agremiação .

Almeida Café condicionou que só assumiria a presidência, se os fundadores concordassem que o nome da escola de samba fosse “Prova de Fogo” no que foi atendido. Logo após o desfile da escola de samba Prova de Fogo no carnaval de 1960, a escola recebeu a adesão do paraense Augustinho, mais conhecido como Bizigudo, que sugeriu a troca do nome para “Universidade dos Diplomatas do Samba”, o que foi aprovado. Já em 1964, Bainha sugeriu que a escola adotasse o nome “Escola de Samba Os Diplomatas”. Entre outros títulos de campeã, a Diplomatas venceu o primeiro carnaval de Rondônia Estado, em 1982.

A agremiação reúne seus brincantes e simpatizantes na Praça São José no bairro Mocambo e oferece “Oficina de formação de ritmistas de escola de samba”.O engenheiro civil Jair Monteiro preside a agremiaçâo.

Tags:

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE