6 de fevereiro de 2012

Cupons e notas fiscais alcançam marca de 8 milhões de documentos

Compartilhe:

Decom

Sefin registra incremento de R$ 10 milhões na receita de ICMS de janeiro em relação ao mesmo mês de 2011

O programa Nota Legal da Secretaria de Estado das Finanças (Sefin), criado para promover a cidadania e combater a sonegação fiscal, apresentou dados surpreendentes nestes primeiros dois meses de lançamento. Pelos dados preliminares apresentados pelo Grupo de Educação Fiscal Estadual (GEFE), foram recebidos até o final de janeiro 8.707.032 cupons fiscais e 108.742 notas fiscais emitidos no mês de dezembro do ano passado.

Deste total, 1.877.912 foram documentos emitidos com CPF, indicando que já no mês de lançamento do programa cerca de 20% dos consumidores já incorporaram o hábito de pedir a nota ou cupom fiscal com seu CPF. O sucesso do Nota Legal também se evidenciou nos números da arrecadação do ICMS.

Considerando apenas o setor terciário da economia, em que o impacto do programa é mais direto, a arrecadação do mês de janeiro foi de R$ 149 milhões, contra R$ 134 milhões no mês de dezembro e R$ 117 milhões no mês janeiro de 2011.Considerando a arrecadação total de ICMS, a arrecadação de janeiro deste ano foi de R$ 237 milhões, contra R$ 217 milhões em dezembro e R$ 227 milhões em janeiro de 2011, um salto, portanto, de R$ 10 milhões em relação ao ano anterior, impulsionado pela contribuição da Nota Legal, que já reflete sua importância para a administração tributária do Estado.

Envio de informações

Desde o dia 27 de janeiro as empresas estão enviando a Sefin as informações dos documentos fiscais emitidos no mês de dezembro. De acordo com o gerente de Informática da Sefin, Dilson Lélis, a Secretaria de Finanças já processou mais de 100 mil arquivos, enviados por 3.862 empresas emitentes de cupons fiscais.Contudo, cerca de 25% desses arquivos apresentaram algum tipo de erro de leitura, seja por problemas de formatação ou de inconsistência dos dados, impedindo que os documentos fiscais sejam registrados em favor dos respectivos consumidores. “Por essa razão, é importante que todas as empresas acompanhem, pelo próprio site da Nota Legal, se os arquivos enviados foram devidamente processados ou apresentaram algum erro, para que não haja prejuízo aos consumidores”, acrescenta Lélis.

Luis Fernando, coordenador do programa, anunciou para o dia 15 de março, Dia Internacional do Consumidor, o próximo sorteio do Nota Legal rondoniense. Nessa segunda etapa de premiação serão contemplados cerca de 30 mil contribuintes com sorteios de prêmios em valor de R$ 10, R$ 50, R$ 100, R$ 500, R$ 1.000, R$ 5.000, R$ 10.000, R$ 15.000 e R$ 25.000, além do rateio de até 20% do ICMS pago pelo comércio onde o consumidor pediu o CPF na nota fiscal. Hoje, 56.030 consumidores estão cadastrados no Nota Legal.

Em caso de dúvida o consumidor poderá encaminhar seus questionamentos para o site www.notalegal.ro.gov.br ou consultar pelo telefone 0800-647-4700. Finalmente, Luis Fernando alerta ao consumidor que por menor que seja o valor é importante pedir o registro do CPF na nota e cadastrar-se no site, porque ao completar R$ 100 em compras, o contribuinte ganha um número com o qual poderá concorrer aos sorteios dos prêmios e receber os demais benefícios do programa.

Notícias relacionadas:

11 de março de 2016

Consumidor.gov.br resolve 80% dos problemas entre clientes e empresas

[11/03/2016 - 16:06h] Plataforma é composta por um site e um aplicativo para smartphones pelos quais os consumidores podem dirigir reclamações diretamente a qualquer uma das 305 empresas cadastradas na ferramenta.

5 de fevereiro de 2016

Inflação oficial varia 1,27% em janeiro; alimentos e transportes impactam a renda da população

[05/02/2016 - 10:54h] A inflação registrada em janeiro foi a mais alta para um início do ano desde 2003, quando o IPCA teve uma variação de 2,25%.

7 de abril de 2013

Liberação de agrotóxicos foi irregular

[07/04/2013 - 18:30h] Compartilhe:07/04/2013 – 02h31 REYNALDO TUROLLO JR. FOLHA DE SÃO PAULO Maior consumidor de agrotóxicos do mundo, o Brasil passou a […]

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE