6 de março de 2016

A agonia nossa de cada dia

Compartilhe:

O Brasil vai vivendo uma agonia a cada dia. Ou a cada semana.

Agora foi o frenesi midiático causado pela condução coercitiva do ex-presidente Lula, com direito a comício do próprio na sede do PT, em que a auto louvação e a ladainha de vítima deram o tom do discurso. Detalhe: aqui a militância não quis enxotar a imprensa. Pelo contrário, ela foi bem útil, dando suporte à vitimização do petista, com longa veiculação no Jornal Nacional, aquele da emissora ingrata e golpista.

Para o pintor que está trabalhando aqui em casa a discurseira de Lula teve o propósito de “tirar o foco” das investigações sobre ele. Só isso. Fiquei besta com tanta crítica à condução coercitiva. Lula é apenas ex-presidente. Como seu atual amigo Collor também foi. Que teve a casa invadida e ninguém se escandalizou.

Na noite de sábado veio uma nota dos procuradores da Lava Jato em defesa do recurso adotado para ouvir o ex-presidente, ressaltando que outras 117 conduções coercitivas já haviam sido adotadas e ninguém estrilou. Aí veio nota dos advogados de Lula publicada no site do Instituto do ex-presidente criticando os procuradores.

De nota em nota, operação policial pra cá e pra lá, bla bla bla da oposição (?) e situação, delação premiada, brigas partidárias, incertezas, cinismo, hipocrisia¸ incompetência e paralisia política o Brasil vai vivendo. E a economia piorando. Em 2015 o PIB caiu 3,5%, e a expectativa de retração neste ano é de 5%.

Na Câmara, após virar réu no Supremo Tribunal Federal, o deputado Eduardo Cunha perde apoio dos partidos, mas se agarra como naufrago à instituição que (ainda) preside.  Ali pertinho, o senador Renan Calheiros, presidente do Senado, também enrolado na Lava Jato, finge que nada é com ele.

Do outro lado da rua, a presidente da República não dorme tranquila – se é que dormiu desde que eleita para o segundo mandato – porque revelações da delação premiada do senador Delcídio do Amaral publicadas pela revista IstoÉ a comprometem seriamente. Há quem questione a existência da delação, mas é bom lembrar que o senador não negou o conteúdo vazado.

Para concluir, vem aí o 13 de março. Há quem aposte na maior manifestação de todas até agora. A conferir.

Cultura

Uma boa iniciativa do mandato da deputada Marinha Raupp resultará no completo diagnóstico de obras e projetos de infraestrutura culturais existentes nos municípios de Rondônia. A partir desta segunda-feira, dia 7, até o dia 10 de março, Germano Ladeira, diretor de Programas Especiais de Infraestrutura Cultural e Bethânia Gonzales, chefe de Divisão Técnica Usinas Culturais, do Ministério da Cultura, fazem visita técnica em 11 municípios com gestores locais e técnicos da Superintendência da Juventude, Esporte, Cultura e Lazer (Sejucel).

Ideia

A ideia é verificar a situação de projetos em andamento com apoio do Ministério, e também identificar os espaços de cultura que estão subaproveitados, para que num esforço conjunto com as prefeituras possam ser fortalecidos e assim investir na ampliação da produção cultural local.

Guajará-Mirim

Nesta segunda-feira, pela manhã, a visita técnica acontece em Guajará-Mirim, e a tarde em Porto Velho. Dia 8 de março, terça-feira, em Ariquemes (8h); Ji-Paraná (11h) e Presidente Médici (17h); no dia 9 em Espigão do Oeste (7h); Pimenta Bueno (11h); Rolim de Moura (16h)  e Nova Brasilândia (20h) e no dia 10 de março em São Miguel do Guaporé (7h) e Costa Marques (17h).  Municípios vizinhos também foram convidados a participar.

Pimentel

O secretário da Saúde Williames Pimentel deixará o cargo no final de maio. Houve mudança no prazo para a saída de gestores que queiram se candidatar, e ele ganhou mais um tempinho. O pré-candidato a prefeito de Porto Velho  está animado, e já faz aparições em espaços de grande público. Esteve sábado a noite no jogo de estreia do 26º Campeonato Rondoniense, no estádio Aluízio Ferreira, em Porto Velho.

 

Tags:

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE exemplo lateral

Gente da Amazônia

De menino briguento a compositor aos 14 anos, o carnavalesco Silvio Santos não quer parar

[21/02/2016 - 17:17h] São 55 anos de música autoral. Tudo começou após assistir com a família um desfile de carnaval na avenida Presidente Dutra, numa terça-feira. Caiu forte chuva, e veio a inspiração. Tinha então 14 anos quando compôs a primeira marchinha.


Fotos da Semana

Serviços