3 de novembro de 2016

Animando Amazônia faz oficinas de animação em Jacy-Paraná e Rio Pardo

Compartilhe:
Crianças de Jaci-Paraná curtem animações do Animando Amazônia - Foto Beethoven Delano

Crianças de Jaci-Paraná curtem animações do Animando Amazônia – Foto Beethoven Delano

Autor: assessoria

A tela de cinema montada na rua principal da pequena cidade de Rio Pardo, no interior da Floresta Nacional do Bom Futuro, e na praça da Administração do distrito de Jacy-Paraná, no último final de semana, proporcionou raros momentos para os moradores das duas localidades curtirem um evento cultural. O momento mais esperado do público foi a oportunidade de ver as animações produzidas com a ajuda de estudantes locais, que aprenderam a técnica de criação de audiovisuais em oficinas do Animando Amazônia, projeto voltado para alunos de escolas públicos, que incentiva uma reflexão para a proteção do meio ambiente e ensina alunos e professores a utilizarem filmes de animação nas salas de aula.

Este é o segundo ano que o Animando Amazônia atua na escola Tiradentes, de Jacy-Paraná, e na Escola Rio Pardo. Para a professora do Tiradentes, Maria Luiza Ferreira, que acompanhou as oficinas ministradas na escola neste ano e no anterior, a experiência tem sido “magnífica”. “Os vídeos são uma ferramenta muito dinâmica e abrangente, porque oferecem uma gama variada de opções para usar em sala de aula, com uso de material acessível. É a mágica do cinema na sala de aula”, disse a professora.

Animando Amazônia ocupa rua de Rio Pardo Foto Beethoven Delano

Animando Amazônia ocupa rua de Rio Pardo Foto Beethoven Delano


O estudante do 8º ano da Escola Tiradentes Ruan Pereira da Silva, 13 anos, fez uma queixa recorrente entre os colegas, sobre a falta de opções de lazer em Jacy, e se entusiasmou ao falar da oficina do Animando Amazônia. “É muito fácil criar uma animação. Com certeza, vou fazer em casa e buscar outras informações sobre o assunto na Internet”, afirmou.

O Animando Amazônia é inspirado no Anima Mundi, considerado como o maior festival de cinema de animação das Américas, e foi criado depois do sucesso de oficinas de audiovisual feitas em 2015 com dezenas de alunos das escolas estaduais Duque de Caxias, Barão do Solimões e Castelo Branco, de Porto Velho.
Durante as 20 horas das oficinas, os alunos aprendem a usar a técnica Pixalation, que permite a produção de animações com material barato e acessível, com uso de aplicativos grátis disponibilizados em telefone celular. O trabalho é realizado pelo oficineiro Christian Ritse e assistentes.

Notícias relacionadas:

8 de novembro de 2016

Especialista sobre uso de animação nas salas de aula, Bete Bullara faz palestra em Porto Velho

[08/11/2016 - 17:32h] Compartilhe:Bete Bullara, secretária executiva do Cineduc desde 1975, vai falar com professores sobre potencial das animações como instrumento de aprendizado. […]

26 de outubro de 2016

Projeto Animando Amazônia leva o cinema para salas de aula em Porto Velho

[26/10/2016 - 09:21h] Projeto ensina alunos de escolas públicos a criar animações.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE